Paciente recebe traqueia artificial desenvolvida a partir das suas células estaminais

Paciente recebe traqueia artificial desenvolvida a partir das suas células estaminais

11 de Julho de 2011 0 Por Tiago

O cultivo de órgãos de substituição em laboratório tem sido um sonho para uns e um desafio, para outros.

Para os pacientes que sofrem de problemas graves e muitas vez incuráveis até, a possibilidade de substituir um órgão doente por outro completamente novo, com a mínima possibilidade de rejeição, é um sonho que está cada vez mais próximo de se realizar.

No mês passado, um paciente sueco que sofreia de cancro recebeu uma traqueia de artificial de substituição, desenvolvida em laboratório a partir das células estaminais do próprio doente.

Para criar este órgão artificial, a equipa de investigadores da Universidade de College London, liderada pelo professor de medicina nanotecnológica e regenerativa Alexander Seifalian, tive de realizar os seguintes passos:

  • Em primeiro lugar tiveram de desenvolver uma estrutura composta por um polímero poroso, construído com base em medições feitas à traqueia “original” do paciente, através de imagens tomografias computadorizadas.
  • Depois de concluída, traqueia artificial de polímero poroso, foi colocada dentro de uma aparelho chamado InBreath Bioraetor (Biorreatores de Inspiração), onde foi banhada com uma solução que continha as células estaminais do paciente, retiradas da medula óssea do mesmo.
  • Por fim, duas semanas depois as células estaminais haviam-se multiplicado e a traqueia artificial estava completamente formada e pronta a ser implantada.

Segundo os investigadores, este foi um processo bastante simples quando comparado como com as exigências do processo de criação de órgãos como os pulmões, rins, entre outros.

No entanto, este não deixa de ser um gigantesco passo, rumo a uma tecnologia que poderá salvar milhares ou mesmo milhões de vidas todos os anos.

Talvez um dia, haja um género de impressora 3D capaz de digitalizar e criar quase instantaneamente órgão de substituição, de forma a melhorar e perlongando a vida de todos aqueles que necessitarem.

Fonte: MIT Technology review