Investigadores querem simular rede neuronal tão complexa como o nosso cérebro

Investigadores querem simular rede neuronal tão complexa como o nosso cérebro

12 de Julho de 2011 1 Por Tiago

Para estudar a complexidade do nosso cérebro, um grupo de investigação das universidades britânicas, decidiu juntar um milhão de processadores ARM, de forma a simular cerca de um centésimo da totalidade das capacidades de um cérebro humano.

Apesar de a rede neuronal artificial SpiNNaker (arquitetura Spiking Neural Network) representar apenas 1% do potencial do nosso cérebro, os investigadores ingleses acreditam que esta irá proporcionar uma melhor perspetiva de como funciona o cérebro.

O objetivo é desenvolver um novo método de estudo, que simule as funções do nosso cérebro, de forma a permitir desenvolver novos tratamentos para os distúrbios cognitivos.

Modelos anterior (numa escala mais reduzida) ao SpiNNaker, permitiram aumentar o nosso conhecimento acerca da esquizofrenia. Portanto, teoricamente este modelo deverá dar-nos uma perspectiva muito mais abrangente, relativa também a outras doenças.

À medida que se tornam mais complexas, as redes neuronais artificiais aproximam-se cada vez mais das funcionalidades do nosso cérebro. Contudo, falta ainda um longo caminho a percorrer no sentido de construir algo semelhante aos 100 milhões de neurónios que do nosso cérebro.