Plasma frio é melhor a matar bactérias que os antibióticos

Plasma frio é melhor a matar bactérias que os antibióticos

20 de Dezembro de 2010 1 Por Tiago

Cientistas encontraram uma nova forma de tratar infecções. Segundo eles, este tratamento funciona melhor que os antibióticos e baseia-se na aplicação de uma tocha de plasma frio, sobre a área infeccionada.

Plasma, é um gás ionizado que normalmente se encontra a centenas de graus Celsius. Este é comummente utilizado para esterilizar equipamentos cirúrgicos. Apesar do nome, o plasma frio, não é propriamente “frio” (gelado como se estivesse saído do árctico), mas sim o oposto de escaldante, encontrando-se perto da temperatura ambiente.

Só recentemente é que os investigadores foram capazes de tornar a temperatura do plasma constante, de 35 a 40 graus Celsius (à pressão atmosférica), sendo suficientemente frio para que se possa tocar com segurança.

Para testar a sua eficiência, Svetlana Ermolaeva e a sua equipe de investigadores do Instituto Gamaleya para Pesquisas Epidemiologia e Microbiologia, usaram a tocha de plasma frio contra duas das mais comuns bactérias que aparecem nas feridas: a Pseudomonas aeruginosa e a Staphylococcus aureus. Estas são resistentes aos antibióticos, devido a uma camada protectora chamada biofilme.

Mas bastaram cinco minutos, para a tocha de plasma frio, matasse 99 por cento das bactérias que cresceram numa placa de Petri (recipiente cilíndrico para a cultura de micróbios). Ao fim de dez minutos, o plasma matou 90 por cento das bactérias presente nas feridas de um rato. O facto de a tocha pode ser direccionada para a uma área específica (infecção),faz com que o tecido circundante permaneça ileso.

De acordo com o que Ermolaeva disse em comunicado de imprensa, “Plasmas frios são capazes de matar bactérias danificando o ADN microbial e a estrutura de superfície, sem danificar os tecidos humanos. É importante sublinhar que nós demonstramos que o plasma é capaz de matar bactérias que crescem em feridas biofilmes, apesar de os biofilmes grossos mostram alguma resistência ao tratamento “.

As vantagens deste tratamento são evidentes, não só o plasma frio não produz os efeitos secundários (e muitas vezes desagradáveis) que as drogas como os antibióticos produzem, como também destroem indiscriminadamente as bactérias (sendo resistentes aos antibióticos ou não). Não há como escapar à tocha de plasma frio.

O próximo vídeo comprova que esta tocha de plasma frio é “fria” o suficiente para que qualquer pessoa possa suportar.

Os resultados da investigação foram publicados em Journal of Medical Microbiology.

Fonte: news.discovery.com