Ciência

NASA prevê tempestade solar de grande magnitude num futuro próximo

Uma tempestade solar, está a preocupar os cientistas da NASA que acreditam poder vir a provocar sérios problemas em todo o mundo. Esta tempestade é sem duvidada inevitável, segundo dizem os cientistas.

Uma tempestade solar, é porventura um acontecimento banal na história de vida da terra, os cientistas tem vindo a filmar e fotografar estes fenómenos naturais. Uns com mais intensidade, outros com menos. As últimas tempestades que ocorreram com o mesmo grau de intensidade foram registadas em 1859 e 1921.

A consequência desta ultima tempestade solar, foi a total incapacidade de operar sistemas telegráficos.

Erupções solares, são explosões na superfície do Sol causadas por mudanças repentinas no seu campo magnético. Estas explosões enviam grandes quantidades radiação para o espaço, e consequentemente para os planetas do nosso sistema solar.

Esta radiação pode ser transmitida como partículas (plasma), ou radiação electromagnética (luz). O Sol liberta porções de energia electromagnética, quando enormes quantidades de energia ficam retidas em campos magnéticos, acima das manchas solares. A explosão produz um forte pulso de radiação que abrange espectro electromagnético, desde as ondas rádio, raios X até aos raios gama.

Actualmente um acontecimento com esta magnitude poderá destruir todos os sistemas eléctricos do planeta, provocando o caos por todo o lado. Sem transporte, telecomunicações, energia eléctrica, satélites, etc…. As consequências de um apagão mundial podem-se reflectir na economia, parando praticamente todas a empresas e afundando ainda mais os países na actual crise.

Segundo os cientistas, à uma grande probabilidade de que a próxima tempestade solar seja uma das maiores, registadas nos últimos 400 anos.

Uns acreditam que 2012 é a data mística mais provável para ocorrer tal “apocalipse”, outros acham que 2013 é a data mais lógica. A verdade é que a NASA já anda a anunciar a tempestade solar desde 2006, pelo que deve estar para breve.

Pode gostar também

More in:Ciência