NASA detetou, pela primeira vez, o brilho da água de uma Super Terra alienígena

NASA detetou, pela primeira vez, o brilho da água de uma Super Terra alienígena

9 de Maio de 2012 1 Por Tiago

O Telescópio Espacial Spitzer, da NASA, tem sido uma preciosa ajuda na busca de novos exoplanetas, que possam conter vida extraterrestre, tendo recentemente encontrado o primeiro exoplaneta, através do brilho da sua água.

A luz de uma estrela ofusca a luz de qualquer planeta em seu redor, por isso é tão difícil observar um exoplaneta num espectro de luz visível. Contudo, o Telescópio Espacial Spitzer foi capaz de observar o brilho deste planeta através de infravermelhos.

A tecnologia de infravermelhos permite tornar os planetas que irradiam calor, significativamente mais brilhantes.

Este exoplaneta, ao qual deram o nome de 55 Cancri e, encontra-se a 40 anos-luz da Terra e é designado como uma Super Terra, por ter o dobro do seu tamanho da e oito vezes a sua massa.

55 Cancri e é um planeta extremamente quente, que órbitra muito perto da superfície da sua estrela. Por isso, a sua temperatura ronda os 1650 graus Celcius, o suficiente para derreter metal, e um ano (volta completa em torno da estrela) tem apenas 18 dias.

O Telescópio Espacial Spitzer apenas consegue medir a diminuição da luz, quando planeta passa pela frente, ou por trás da sua estrela. Mas é o suficiente para determinar o tipo de luz que está a ser emitido pelo planeta.

Os cientistas planetários da NASA colocaram a hipótese de este planeta ser composto por um núcleo rochoso, estar coberto por uma camada de água à superfície e vapor supercrítico. E de acordo com as ultimas observações do Spitzer, tudo isto se parece confirmar.

Para a NASA (e todos nós) é esperado o lançamento do Telescópio Espacial James Webb, em 2018. Este telescópio tem com principal objetivo, encontrar indícios de vida em exoplanetas potencialmente habitáveis.

Será 2018, o ano em vamos poder (finalmente) afirmar que não estamos sós no universo?

Fonte: NASA