Mistério da “Megaestrutura Alienígena” poderá ser resolvido em breve

Mistério da “Megaestrutura Alienígena” poderá ser resolvido em breve

30 de Outubro de 2015 0 Por Tiago

Recentemente uma misteriosa redução do brilho de uma estrela, captada pelo telescópio espacial Kepler, provocou o alvoroço no seio da comunidade cientifica. Enquanto uns apontam para causas naturais, outros afirmam ser evidências de uma “Megaestrutura Alienígena”.

Mantendo um olhar atento sobre a estrela KIC 8462852, astrónomos de todo o mundo espera vislumbrar, novamente, o esmorecimento dramático de até 22%, da intensidade da luz, que tem ocorrido inúmeras vezes ao longo dos últimos anos.

Este fenómeno tem estimulado as mais variadas especulações, entre elas, a possibilidade de esta estrelas ser rodeada por algum tipo de megaestrutura alienígena. Hipótese esta, que será posta à prova aquando o próximo escurecimento de KIC 8462852.

De acordo com Jason Wright, astrónomo da Universidade Estadual da Pensilvânia, em entrevista ao jornal Space.com:

“Enquanto um desses eventos ocorre, novamente, devemos ser capazes de o apanhar no ato, e depois seremos, certamente, capazes de descobrir o que estamos a ver.”

“As medições mais simples que podemos fazer (olhando apenas em diferentes comprimentos de onda [de luz]), devem excluir, ou sugerir, imediatamente uma megaestrutura alienígena.”

KIC 8462852 é uma estrela de grandes dimensões que fica a cerca de 1.500 anos-luz da Terra. Estes escurecimentos, observados pelo telescópio espacial Kepler da NASA entre 2009 e 2013, parecem ser demasiado substanciais para serem provocados por um planeta em órbita, afirmam os astrónomos.

Outra teoria, aponta para um disco de formação planetária. No entanto, não parece ser uma explicação muito plausível, tendo em conta que KIC 8462852 parece ser uma estrela madura cujos planetas (caso tenha algum) já se formaram.

Todo o tipo de ideias tem surgido e levantando o interesse e curiosidade de todos. Como por exemplo, um enorme conjunto de exocomentas.

Embora improvável os cientistas querem conferir a possibilidade de algum tipo de megaestrutura alienígena ser responsável pelo escurecimento do brilho emitido pela estrela.

Os astrônomos têm apontado os radiotelescópios para KIC 8462852, em busca de sinais gerados por seres inteligentes. Enquanto outros estudaram a estrela com uma serie de telescópios óticos, equipados com espectrógrafos, para monitorizas os comprimentos de onda da luz.

Para Wright,

“isso vai nos dizer qual material é que a luz da estrela está a filtrar”,

afirmando ainda que,

“vai nos dizer se talvez estaremos a olhar para a poeira astrofísica comum; vai nos dizer se estaremos a olhar para gás”.

Wright acrescentou ainda:

“Se virmos qualquer dependência de cor no escurecimento (se escurecer em ultravioleta em vez do infravermelho, por exemplo) então, isso excluiria que o que estamos a ver é um objeto sólido”.

Para Wright, os dados vão, eventualmente, mostras que este escurecimento é causado pela poeira. Caso isso se confirme, levanta novas duvidas. De onde virá esta poeira? Estará a ser expelida per exocometas, ou o material estará preso a um sistema de anel gigante, em torno de um planeta idêntico a Saturno?

“A quantidade de escurecimento a que chegarmos, dir-nos-á algo sobre o tamanho da poeira – é tão fina como o fumo, ou é seixos e outras coisas?”

Disse Wright.

“Isso vai nos ajudar a descobrir qual desses cenários nós estamos a observar.”

Entretanto, resta-nos dar asas à imaginação e inventar a ideias mais mirabolantes que nos conseguirmos lembrar, ou, para os mais realistas, idealizar a teoria mais provável e assertiva. Seja qual for, qualquer uma dela poderá ser plausível (umas mais que outras certamente).

Fonte: Space.com
Creditos de imagem: NASA Ames/JPL-Caltech/T Pyle