IMEC cria microprocessadores flexíveis através semicondutores orgânicos

IMEC cria microprocessadores flexíveis através semicondutores orgânicos

25 de Fevereiro de 2011 0 Por Tiago

Há muito que os semicondutores orgânicos são apontados como um potencial material, para a construção de microprocessadores. Estes poderão vir a serem incluídos nas nossas roupas do dia-a-dia.

O sonho (para muitos) de ter roupas computadorizadas, está cada vez mais perto de se concretizar, devido à e com a ajuda da IMEC.

O objectivo da IMEC era criar um microprocessador orgânico barato e dobrável. A empresa usou camadas de um substrato de plástico, circuitos de ouro, dielétrico orgânico e um semicondutor orgânico de pentaceno para um circuito de 8 bit com 4000 transístores.

É esperado que estes microprocessadores venham a custar um décimo do preço atual dos chips de silício, tornando-os ideais para integrar no vestuário comum.

A capacidade de execução de 6 instruções por segundo é demasiado pequena para desafiar um comum computador dos dias de hoje. Mas estes chips serão porventura, úteis para crias ecrãs flexíveis baratos, sensores para avaliar o estado da comida do nosso frigorífico, entre muitos outros.

Onde os chips de silício falharam, os orgânicos tiveram sucesso. O truque estava, em ultrapassar cada variável de comutação limiares de tensão dos transístores orgânicos. A adição de uma segunda porta em cada transístor permitiu à IMEC, controlar o campo elétrico de cada um deles, evitando comutações indesejáveis e dando inicio à nova era dos processadores de plástico.

O mundo da moda nunca mais será o mesmo.