HP desenvolve tecnologia para substituir transístores

HP desenvolve tecnologia para substituir transístores

12 de Abril de 2010 1 Por Tiago

Os chips actuais estão cada vez mais pequenos e mais capazes e tudo isso, se deve aos transístores de silício, mas para tudo há um limite, e o silício está no seu. À medida que o tamanho dos transístores diminui, são maiores as evidências da limitação física desta tecnologia e para que a tecnologia continue a evoluir, é necessário que sejam descobertas novas tecnologias e matérias.

A HP credita ter a resposta para o problema, segundo esta empresa criada por Bill Hewlett e Dave Packard a resposta para este problema está nos memristors. Um memristor (“memory resistor”) é um componente electrónico passivo de dois terminais que mantém uma função não-linear entre corrente e tensão. Esta tecnologia nasceu com base numa teoria formulada por Leon Chua, publicada num artigo, em 1971.

Em entrevista ao New York Times, a Hewlett-Packard revelou, que os memristors podem realizar processamento de dados e funções de armazenamento (mesmo sem uma carga eléctrica), além de que são capazes de empilhar numa matriz tridimensional, o que permitiria um potencial de grande escala. E desta forma permitindo uma nova classe de dispositivos de computação ultra densos, mesmo depois da escala de duas dimensões atingirem o seu limite físico. Futuramente os memristor com três nanómetros poderão ser ligados e desligados em um nanossegundo. E ter uma densidade de memória de 20 GB por centímetro. Já foram efectuados testes de armazenamento a esta tecnologia, onde se obteve sucesso nas centenas de milhares de operações de escrita e leitura, sem falhas. Esta tecnologia poderá chegar-nos às mãos dentro de três anos.

Fonte: Engadget