Condomínio de luxo, construído em silo para mísseis, resistirá ao “fim do mundo”

Condomínio de luxo, construído em silo para mísseis, resistirá ao “fim do mundo”

1 de Junho de 2012 2 Por Tiago

Hoje em dia fala-se muito no “fim do mundo” e em desastres que possam extinguir parte (ou a totalidade) dos seres vivos terrestre. A pensar nisso, Larry Hall decidiu construir o “Survival Condo (Condomínio de Sobrevivência) ”, que lhe oferecerá as condições ideais para resistir ao próximo episódio apocalíptico da Terra.

Larry Hall, um antigo engenheiro de software, teve um dia a visão de transformar o Atlas F, um silo para misseis construído na década de 60 no Kansas, EUA, num condomínio de luxo para albergar confortavelmente até 70 pessoas.

Com 15 pisos e cerca de 60 metros de profundidade, este silo para misseis (transformado num bunker à prova de explosões nucleares) dispõe de 7 unidades habitáveis, cada uma com 554 metros quadrados, e estão a ser vendidos na sua totalidade ou apenas metade.

Cada unidade custa 2 milhões de dólares (cerca de 1.6 milhões de euros) e metade custa 1 milhão de dólares (cerca de 800 mil euros). Contudo, o preço não assustou os clientes, antes pelo contrário. O interesse no Survival Condo foi tão grande, que todas as unidades residenciais foram vendidas, à exceção (até à data) de metade da 3ª unidade (3b).

Na possibilidade de vir a suceder desastre apocalíptico, os compradores terão aqui, o refúgio ideal. As paredes do silo têm mais de 2,70 de largura e são capazes de suportar impactos nuclear, sismos, entre outros, enquanto os moradores poderão relaxar confortavelmente no seu jacuzzi.

Existe ainda várias zonas comunitárias e de laser, como por exemplo um spa, sala de cinema, sala de aulas, enormes painéis HDTV (em todas as divisões) para simular janelas com vista para paisagens incríveis, piscina e bar, com tudo o que os residentes possam necessitar. No entanto, prevê-se que o bar seja o primeiro a esgotar os mantimentos.

O Survival Condo terá ainda a capacidade de fornecer ar, um espaço de “crescimento” para plantação/criação de variados tipos de alimentos e um fornecimento combinado de água da chuva do poço. Quanto à eletricidade, esta será produzida a partir de um gerador a diesel e turbinas eólicas.

Nada foi esquecido na construção do condomínio, muito menos a segurança. Este encontra-se equipado com uma porta de segurança, que abre apenas com um código, a propriedade estará cercada por câmaras de segurança, bem como vedações eletrificadas e no interior, os moradores terão acesso as suas próprias armas.

Dada tal euforia e interesse por uma residência que consiga sobreviver ao “fim do mundo”, Larry Hall está atualmente a negociar a compra de outros locais (silos para misseis) desativados, para construir mais “Condomínios de Sobrevivência”.

O site CNET quis saber mais e perguntou a Hall, o porquê do sucesso dos condomínios (que até já têm lista de espera) e de as pessoas estarem tão interessadas, a resposta não poderia ser mais direta:

Escolham qualquer um dos seguintes: alteração climática global, o medo do terrorismo, possível colapso econômico, o ciclo solar e a possível perda de rede de energia, possíveis pandemias, distúrbios civis e escassez de alimentos.

Se as previsões dos Maias estiverem corretas, poderemos começar já a preparar-nos para o Apocalipse, visto que luxos destes não estão ao alcance de qualquer um.

Confesso que acho todo este dramatismo um pouco despropositado e que à conta disso, Larry Hall irá ganhar muito dinheiro, tanto com este como outros (futuros) condóminos. No entanto, a ideia não deixa de ser interessante.

Enquanto os ETs não vêm, para aniquilar os humanos, ou um asteroide vêm extinguir todos os seres vivos à face da Terra (como aconteceu na era dos dinossauros) deixe-se ficar com o vídeo onde Hall mostra e fala sobre o Survival Condo à News 4.

Fique ainda com o documentário Apocalypse 2012.

Fonte: Survival Condo
Via: CNet | News 4