Cientistas desenvolvem microaranhas para tratar problemas internos

Cientistas desenvolvem microaranhas para tratar problemas internos

8 de Setembro de 2011 0 Por Tiago

Na Universidade Penn State nos EUA, um grupo de cientistas está a desenvolver aranhas minúsculas, que poderão ser introduzidas na corrente sanguínea dos pacientes.

Não, não estou a falar do próximo filme da saga “Aracnofobia”, mas sim do mais recente avanço médico no tratamento de vários tipos de problemas, através da corrente sanguínea.

Com um tamanho inferior a 1 micrómetro, estas pequenas aranhas foram desenhadas para viajas ao longo das nossas veias, levando consigo medicamentos e um pouco de TLC (Cromatografia em Camada Fina) para as áreas “danificadas”.

Para ter a noção de quão pequenas são estas aranhas, quando comparadas com um glóbulo vermelho, estas são 6 a 10 vezes mais pequenas. O conceito não é totalmente novo, mas no futuro poderá abrir novas portas ao tratamento de inúmeros problemas.

Feitas de sílica e ouro, após de entrar na corrente sanguínea as microaranhas são impelidas por uma molécula conhecida como catalisador de Grubbs. Esta molécula poderá ser controlada (direccionalmente) pelos cientistas, através do uso de químicos.

Apesar de se encontrar ainda numa fase preliminar, investigadores com Ayusman Sen acreditam que um dia será possível incluir nano robôs, capazes de patrulhar e detetar problemas, tais como tumores por exemplo ou até mesmo limpar as artérias das placas de gordura acumulada.

Esperemos que esta não seja mais uma das inúmeras e fantásticas descobertas científicas, que ficam arrumadas na gaveta.

Fonte: New Scientist Via: Engadget