Cientistas confirmam Teoria da Relatividade de Einstein à escala cósmica

Cientistas confirmam Teoria da Relatividade de Einstein à escala cósmica

30 de Setembro de 2011 1 Por Tiago

No início da semana, um grupo de cientistas do CERN revelou que os neutrinos podem ser mais rápidos do que a luz, pondo em causa a Teoria da Relatividade de Einstein.

Mas segundo o estudo feito por um grupo de investigadores do Instituto Niels Bohr, a Teoria da Relatividade Geral (que descreve o funcionamento da gravidade no Universo) acaba de ser confirmada à escala cósmica.

A Teoria da Relatividade é denominação do conjunto de duas teorias publicadas por Albert Einstein:

  • Uma delas é a Relatividade Restrita (ou Especial), que descreve o conceito espaço-tempo, e onde são ignorados os efeitos da gravidade.
  • A outra é a Relatividade Geral, uma versão mais ampla da teoria, em que os efeitos da gravidade são integrados, surgindo a noção de espaço-tempo curvo.

Os estudo conduzido pelos investigadores, visavam testar as teorias de Einstein em grande escala, através de aglomerados galácticos que consiste grupos de milhares de galáxias, que se mantêm juntas devido à ação da sua própria gravidade.

Segundo as previsões da Teoria Geral da Relatividade, a gravidade dos aglomerados galácticos é capaz de curvar a luz, causando um desvio para o vermelho gravitacional, que corresponde a uma mudança do comprimento de onda da luz.

Para comprovar as previsões de Einstein, os cientistas analisaram a luz proveniente de 8.000 aglomerados galácticos diferentes, determinando que a sua gravidade causava a tal curvatura na luz, esperada. De acordo com os cientista, ao analisar a gravidade (provocada pela massa das galáxia) e o desvio para o vermelho constatou-se que este se alinhavam na perfeição, tal como previa e Relatividade Geral.

Segundo a explicação do investigador Radek Wojtak, “Descobriu-se que os cálculos teóricos do desvio para o vermelho gravitacional, baseado na Teoria da Relatividade Geral, estavam em completo acordo com as observações astronômicas. A nossa análise das observações de aglomerados de galáxias mostram que o desvio para o vermelho da luz é proporcionalmente compensado ​​em relação à influência gravitacional da gravidade do cluster da galáxia. Desta forma, as nossas observações confirmam a Teoria da Relatividade”.

As observações foram levadas a cabo, segundo os pressupostos do modelo Lambda-CMD (Lambda-matéria escura fria), que representa o modelo de concordância da teoria do Big Bang.

Desta feita, além de confirmar a Teoria da Relatividade Geral à escala cósmica, adiciona ainda novos elementos que apoiam a existência de matéria escura, pelo que o desvio para o vermelho se encontra em perfeita consonância com a presença desta mesma matéria.

Parece que ainda não é desta de Einstein se dá por vencido, quanto a mim, a fascinante complexidade do Universo continua ainda muito além da compreensão do ser humano.