Choques eléctricos no cérebro melhoram capacidades matemáticas

Choques eléctricos no cérebro melhoram capacidades matemáticas

5 de Novembro de 2010 3 Por Tiago

Todos os entusiastas por super-heróis sabem que os poderes de alguns deles são despoletados por enormes descargas eléctricas, normalmente acidentais, que lhes dão capacidades sobre humanas… mas isto é o que acontece, no mundo da ficção.

Mas não vivemos no mundo da ficção, pelo menos a maioria de nós não. E quando falamos em realidade, a nossa consciência diz-nos que as coisas não funcionam assim. Ou não deviam funcionar, até um grupo de neurociêntistas descobrir uma forma de aumentar as capacidades matemáticas de um individuo, através de suaves descargas eléctricas, aplicadas directamente no cérebro.

Enquanto os investigadores de Oxford analisavam o problema da discalculia (um raro comprometimento relacionado com a dislexia que cria uma dificuldade inata em compreender e manipular números), surgiu a ideia de estimular electricamente o cérebro.

Durante seis meses, um grupo de quinze estudantes destros (em sessões que duravam normalmente menos de 15 minutos) foram a base deste estudo. Até agora os resultados foram bastante interessantes. O estudo consistia na indução de uma corrente eléctrica de baixa amperagem (um milésimo de ampere), directamente sobre o lobo parietal.

  • Quando a corrente flui da direita para a esquerda, da zona do lobo parietal, as capacidades para resolver enigmas matemáticos dos indivíduos sofreram melhorias.
  • No entando, quando a direcção foi mudada (da esquerda para a direita), o efeito foi revertido e as capacidades dos voluntários passaram a equiparar-se a uma criança de seis anos.

Segundo o neurociêntista de Oxford, Dr. Cohen Kadosh, “São necessárias muito mais pesquisas, antes de poder até mesmo começar a pensar neste tipo de estimulação eléctrica como um tratamento “.

Dr. Kadosh disse ainda que ” Entretanto, estamos extremamente animados com o potencial dos nossos resultados e agora estão a olhar para o subjacente às alterações do cérebro. “

“Será muito provável que a estimulação eléctrica não o transforme em nenhum Albert Einstein”, disse Kadosh “, mas se formos bem-sucedidos, estas podem ser capazes de ajudar algumas pessoas a lidar melhor com a matemática.”

Fonte: ox.ac.uk