Chips Intel com mais de 50 núcleos para supercomputadores

Chips Intel com mais de 50 núcleos para supercomputadores

3 de Junho de 2010 1 Por Tiago

Foi durante a Conferência Internacional de Supercomputação (ISC) a 31 de Maio de 2010, que a Intel anunciou os seus planos para os novos produtos com base na arquitectura Intel Many Integrated Core (MIC). MIC tal como o nome indica, é uma tecnologia, onde é possível integra muitos núcleos de processamento. Permitindo deste modo a execução de triliões de cálculos por segundo, sem que haja perda dos benefícios dos processadores padrão da Intel.

Com o nome de código “Knights Corner”, os transístores destes chips serão produzidos a uma escala de 22 nanómetros (22/1000000000 de um metro). Cada Processador terá mais de 50 núcleos de processamento no seu interior. O que fará do MIC, uma tecnologia ideal para aplicações altamente paralelas, tais como a explorações, investigações científicas ou financeiras tais como o clima ou simulações.

Derivada, de diversos projectos como “Larrabee” e projectos de pesquisa de laboratório como o Single-chip Cloud Computer, a arquitectura Intel MIC irá potenciar, uma performance sem precedentes, aumentando em larga escala o ritmo das descobertas, nas áreas de pesquisa e investigação científicas, assim como todas as restantes áreas que façam uso da supercomputação. Segundo a Intel serão enviados kits a colaboradores seleccionados, no segundo semestre de 2010 de forma a expandir o programa e fornecer uma ampla gama de ferramentas de desenvolvimento para a arquitectura Intel MIC.

O Director Técnico do CERN openlab Sverre Jarp, já comentou dizendo que “A equipe openlab CERN foi capaz de migrar de um complexo C + + benchmark paralelo com a plataforma de desenvolvimento de software Intel MIC em poucos dias”, adiantado ainda que “O modelo de programação familiar hardware nos permitiu obter o software executando muito mais rápido do que o esperado.”

Intel, Forschungszentrum Julich (FZJ) e Partec irá anunciar ainda uma parceria de modo a criar em Julich, o laboratório ExaCluster (ECL). Este laboratório irá desenvolver a tecnologias-chave, ferramentas e métodos para aumentar a performance das máquinas multi petaflops e exaflops. Deste modo o laboratório ECL tornar-se-á o mais recente membro da Intel Labs Europe.