Avião espacial conceptual Skylon testa Motores Reativos

Partilhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

A Agência Espacial Europeia (AEE) testou, pela primeira vez, o Motor Reativo para o futurista avião espacial conceptual Skylon.

Esta aeronave requer um único motor, capaz de funciona com dois tipos de propulsão de foguetão diferentes, desta forma, poderá operar dentro e fora da atmosfera terrestre.

Ao contrário dos motores a jato, que só funcionam com a ajuda do oxigénio (dentro atmosfera terrestre), os foguetões carregam o seu próprio oxidante, que é essencial para a combustão do combustível, que desta forma torna possível o impulso, fora da atmosfera terrestre.

São necessárias grandes quantidades de oxidante para colocar uma nave no espaço, o que aumenta o seu peso e (consequentemente) os custos da viagem. Por isso, a AEE decidiu desenvolver este Motor de Reação, um “2 em 1” capaz de utilizar o oxigénio, quando se encontra dentro da atmosfera e mudar para oxidante, quando se encontra em orbita (fora da atmosfera).

Desta feita, o Motor de Reação pode economizar uma enorme quantidade de espaço e dinheiro, visto que não necessita de tanto oxidante para a viagem, acabando por reduzir os custos finais da mesma para menos de metade, quando comparado com um foguetão convencional.

A parte mais complicada é chegar à velocidade Mach 5, devido à compressão e fricção do ar ao passar no motor, levando-o a aquecer até aos 2000 graus, que é o suficiente para derreter todo e qualquer componente do motor. Para resolver este problema, os engenheiros tiveram de desenvolver um sistema de arrefecimento, capaz de baixar a temperatura do ar até aos 200 graus negativos, em apenas 1/100 de segundo.

  • O sistema de arrefecimento para o Motor de Reação é capaz de dissipar, quase instantaneamente, centenas de graus através de uma complexa matriz de pequenos tubos, onde flui hélio líquido.
  • O oxigénio (do ar frio) é comprimido e misturado com hidrogénio, para dar o impulso desejado ao motor, enquanto o hélio é bombeado através de uma caldeira nitrogénio liquido, para ser novamente arrefecido.

Os testes realizados provaram que além do sistema arrefecimento funcionar perfeitamente, este é uma das peças fundamentais para o funcionamento dos Motores de Reação.

O próximo objetivo da AEE é construir uma pequena versão à escala, de todo o Motor de Reação. Avaliando pelo hesito deste teste, não deverá ser difícil de obter fundos para o financiamento deste projeto.

Fonte: Motores de Reação

Partilhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Artigos Relacionados
Comentários