Avanços tecnológicos permitiram que paraplégico voltasse a andar

Avanços tecnológicos permitiram que paraplégico voltasse a andar

24 de Setembro de 2015 0 Por Tiago

Usando as suas próprias ondas cerebrais, um paciente paraplégico foi capaz de andar sem a ajuda componentes robóticos. Este feito devesse às investigações realizadas por um grupo de cientistas, da Universidade de Irvine, na Califórnias (UCI).

Os cientistas usaram um computador para “ligar” o cérebro de Adam Fritz, um paciente de 28 anos de idade, as suas pernas através de uma conexão Bluetooth, ignorando a região lesionada da sua espinal medula.

A eletroencefalografia (EEG) captou os sinais emitidos pelo cérebro e transmitiu-os, através de um computador de “interface de controlo do cérebro” (ICC), para um conjunto de elétrodos nos seus joelhos, provocando movimentos de locomoção.

Apesar de apoiado e ter caminhado apenas 3 metros, o que Fritz consegui foi um marco, tanto para si como para a ciência. Até agora, pacientes paralisados apenas foram capazes de andar, com recurso a “fatos robóticos”, mais conhecidos por exosqueletos.

Para realizar esta experiencia, Fritz foi sujeito a uma extensa reabilitação física, a fim de fortalecer os músculos, e aprendeu a controlar um avatar virtual, usando o dispositivo ICC. Tendo também treinado movimentos similares, no laboratório, enquanto suspenso.

Em conversa com Sky News, Fritz apelidou esta interface de “mind walker” (“caminhante mental”, traduzindo à letra), e disse ainda que é necessário “concentração total. Tem que pensar em cada passo, quando o está a fazer.”

O sucesso desta experiencia deve-se ao árduo trabalho desenvolvido por esta esquipa. Contudo, de acordo com os cientistas existe ainda muito trabalho pela frente, antes que os pacientes possam usufruir desta tecnologia.

O próximo passo é o de reduzir os componentes da EEG, de tal forma que possam ser implantados no cérebro. Esta redução poderá trazer vantagens ao paciente, permitindo-lhe um controlo mais preciso e a capacidade de “sentir” pressão.

Mas a parte parte mais importante de tudo isto, é o sentimento transmitido por Fritz, que descreveu a experiência como “incrível”, referindo ainda que:

Quando se está lesionado, em primeiro lugar, está-se sentado no hospital à espera de andar novamente. Mas quando realmente aconteceu, foi um sonho tornado realidade.

Assista ao marcante momento em que o primeiro paciente paraplégico dá os primeiros passos, no seguinte vídeo.

Fonte: JNER
Via: Sky News