Abelhas robôs capazes de nadar

Abelhas robôs capazes de nadar

6 de Outubro de 2015 0 Por Catarina

As RoboBees são bastante hábeis, tendo em conta o seu reduzido tamanho, voam de forma estável e pairam como abelhas reais (sempre ligadas à energia claro). 

Recentemente os pesquisadores de Harvard deram-lhes um novo talento, sem modificar o hardware, que até mesmo os seus rivais orgânicos não têm – a capacidade de “voar” debaixo de água.

Para fazer a transição de voo para a natação as abelhas robôs batem na água, afundam um bocado e depois batem as asas a um ritmo mais lento (9 Hz) do que no ar (120 Hz)

Poucos drones têm esta capacidade, mas o objetivo é, um dia, construir robôs autónomos capazes de realizar buscas e salvamentos e outras atividades.

Contudo, as RoboBees ainda têm alguns inconvenientes como as pilhas pequenas não terem capacidade suficiente para lhes dar alguma autonomia de voo.

Necessitam, ainda, de lubrificar as asas para não serem demasiado leves para quebrar a tensão superficial e fazer a transição para a natação. Precisam também de energia extra para se libertaram da água, pois com a água nas asas não conseguem voar bem nos primeiros momentos.

Essas e outras questões como voar em vento forte, terão de ser resolvidas e depois estas abelhas robôs não terão limites. Veja a demonstração, já de seguida.

Fonte: IEEE Spectrum